Fio Merino Coleção Tricô Sem Costura: rendimento

Comecei  tricotar um colete básico em decote V com o fio merino da Coleção Tricô Sem Costura; a  ideia do projeto é testar o rendimento do fio. E tricotar um peça em tricô plano, que há muito tempo não faço.

Amostra: 10 cm=14 pontos com agulha 6mm

Calculei o busto e quadril 102 e montei 78 pontos.

Com agulha agulha 5mm tricotei  7 cm em barra 2/2. Depois continuei com a agulha 6mm em ponto meia no direito e tricô no avesso.

Já tricotei 25 cm e ainda tem fio do primeiro novelo.  Então quase 30 cm de comprimento por 51 de largura com 1 novelo.

Como pretendo fazer com decote V e com um  acabamento  largo em torno do decote, provavelmente serão necessário 04 a 4.5 novelos.

Bom tricô!

Anúncios

Receita do Casaco Letícia

Hoje recebi o arquivo da receita do Casaco Letícia, sobre o qual ja fiz uma postagem aqui no blog. O casaco foi feito pela professora Elaine Morelato Vilela Fraga,  uma “mãe Waldorf”,  para sua filha Letícia usar na Festa da Lanterna do ano passado. Botõezinhos de feltro agulhada e lã merino da Fiolã, linha Hortênsia. Uma peça linda e a receita agora está aqui disponível para todos,

Agradeço a Elaine por ter escrito a receita com tanto detalhamento e generosamente cedido a todos.

Espero que todos aproveitem. Bom final de semana,

 Casaco Letícia

Receita de Elaine Morelato Vilela Fraga

Marília/SP

Fio Merino Fiolã (Linha Hortênsia)

Amostra: 20 pontos x 20 carreiras na agulha 6,5 = 13cm x 10cm.

Tamanho: 6 anos

Material: 5 novelos de lã merino Fiolã, agulha circular nº 6,5 com cabo de tamanhos variados para ir trocando conforme o trabalho aumenta;  1 conjunto de agulhas de pontas duplas para as mangas sem costura; fios para segurar os pontos das mangas e das aberturas dos bolsos; bolinhas de lã feltrada para serem usadas como botões; agulha para costurar os fundos dos bolsos; agulha de crochê para fazer os arremates dos fios.

 

1-      Montar 62 pontos na agulha circular nº 6,5.

 

2-      Fazer a primeira carreira toda em meia.

 

3-      Fazer a carreira do ajuste da seguinte maneira (avesso do trabalho):

1m, 1t (2x), 1m, 8t, (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde a frente  esquerda;

7 t (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde ao ombro esquerdo;

22 t (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde às costas;

7 t (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde ao ombro direito;

8t, 1m, 1t (2x), 1m = esta parte corresponde a frente direita.

Carr. 1 (direito): 1m, 1t (2x), *m até 1 ponto antes do marcador; fazer 1 aumento à direita, 1 m passar o marcador, 1 m, fazer 1 aumento à esquerda. Repetir a partir de * três vezes e depois fazer meia até os 4 últimos pontos (= 1t, 1m (2x)).

1 aumento à direita: com a agulha E, levante o fio entre o último ponto trabalhado e o próximo ponto, inserindo a agulha de trás para frente. Com a agulha D, trabalhe em meia pelo fio da frente o ponto levantado.

1 aumento à esquerda: com a agulha E, levante o fio entre o último ponto trabalhado e o próximo ponto, inserindo a agulha de frente para trás. Com a agulha D, trabalhe em meia pelo fio de trás o ponto levantado.

Carr2 (avesso): 1m, 1t (2x), 1m e depois tricô até os últimos 5 pontos (= 1m, 1t (2x), 1m

 

Repetir essas duas carreiras até que tenha 62 pontos entre os dois marcadores das costas, conforme esquema a seguir, que indica o número de pontos de cada parte, apenas com as carreiras ímpares, pois as pares não têm aumentos. Indica também os momentos de fazer as casas para os botões.

Carreira

Frente E

Ombro E

Costas

Ombro D

Frente D

Obs

9 (+borda)

9

24

9

9 (+borda)

10

11

26

11

10

Fazer casa de botão

11

13

28

13

11

12

15

30

15

12

11ª

13

17

32

17

13

13ª

14

19

34

19

14

15ª

15

21

36

21

15

17ª

16

23

38

23

16

Fazer casa de botão

19ª

17

25

40

25

17

21ª

18

27

42

27

18

23ª

19

29

44

29

19

25ª

20

31

46

31

20

27ª

21

33

48

33

21

29ª

22

35

50

35

22

Fazer casa de botão

31ª

23

37

52

37

23

33ª

24

39

54

39

24

35ª

25

41

56

41

25

37ª

26

43

58

43

26

39ª

27

45

60

45

27

41ª

28

47

62

47

28

Fazer casa de botão

 

Fazer casa para os botões: trabalhe a carreira até os últimos 4 pontos e então faça: 2 pontos juntos em meia, 1 laçada, 1 t, 1m.

A partir deste ponto, divida os pontos para as mangas:

43ª carr. (direito): 1m, 1t (2x), 29 m – tirar o marcador da manga – e passar os 47 pontos da manga para um fio e amarrá-lo, trabalhar em meia nas costas até o marcador que também deverá ser removido; passar os pontos da outra manga para o outro fio e amarrá-lo, como foi feito para a manga E; trabalhar em meia os pontos da frente até os últimos 4 pontos = 1t, 1m (2x), 1m.

44ª carr. (avesso): (1m, 1t)2x, 1m, tricô até os últimos 5 pontos = (1m, 1t)2x, 1m.

Na próxima carreira, fazer os aumentos para as costas:

45ª carr (direito): (1m, 1t)2x, 29m, fazer 1 aumento à direita, (6m, 1 aumento à direita)19x, 29 m, (1t, 1m)2x.

Começando com uma carreira no lado avesso, continue trabalhando em ponto Jersey, sem realizar aumento, mantendo os 5 primeiros  e os 5 últimos pontos de cada carreira em ponto arroz, como estabelecido até que meçam 42 cm desde a montagem dos pontos. Insira uma casa nas carreiras 53ª e  65ª.

Na carreira 74, fazer as aberturas para os bolsos:

74ª carr (avesso): fazer os 5 pontos de borda em ponto arroz; 8t, colocar os 12 pontos seguintes em espera, passando-os por um fio e amarrando. Virar o trabalho e aumentar 12 pontos da seguinte maneira: introduza a agulha D, da frente para trás,  entre os dois últimos pontos da agulha E, dê uma laçada, como se fosse fazer um ponto e traga o fio para frente, colocando o ponto na agulha E. Repita o processo 12 vezes. Depois vire o trabalho novamente e continue trabalhando os pontos como se apresentam. Fazer igual do outro lado.

Lembre-se de que nas próximas 7 carreiras após a abertura para os bolsos, os 12 pontos correspondeste deverão ser trabalhados em ponto arroz, para dar acabamento.

Continue trabalhando até atingir o comprimento desejado, sendo que as últimas 7 carreiras devem ser trabalhadas em ponto arroz.

Arrematar frouxo seguindo o padrão dos pontos.

Fazer as mangas:

Pegar os pontos deixados em espera e colocá-los nas agulhas de ponta dupla (usar 3 para pegar os pontos e trabalhar com a 4ª). Trabalhar em ponto meia, circularmente, fazendo 7 voltas de diminuição ( 1 em cada  7 voltas), diminuindo 1 ponto, pegando 2 pjm. Trabalhar até o comprimento desejado para as mangas. O punho deverá ser trabalhado em ponto arroz (7 carreiras)  Arrematar frouxo, seguindo o padrão.

Montar os bolsos:

Pegar os 12 pontos deixados em esperada e trabalhar em ponto Jersey, fazendo aumentos para que o fundo fique folgado. Trabalhar até a altura desejada e arrematar. Costurar o fundo na blusa, com agulha de mão pegando apenas um fio, sem deixar aparecer pelo lado direito.

Fazer a gola:

Com o lado direito voltado para você, comece e termine a 3 pontos das extremidades do decote. Levante e trabalhe em ponto meia os 56 pontos, em ponto arroz. Faça até a gola atingir 13 cm.  Arremate frouxo, conforme o padrão.

Pregar os botões coloridos, nos locais correspondentes às casas.

Depois é só torcer para fazer frio para que a criança possa usá-la.

Gorro Zimmermann

Terminei mais um gorro Spiral Hat de Elizabeth  Zimmermann, assistindo Janela Indiscreta  e curtindo o friozinho.  Na verdade, curtindo o calorzinho maravihoso das peças de lã que tricoto o ano todo. Por que as tricoteiras curtem o inverno, ficam felizes e bem humoradas? Uma dica: bem agasalhados curtimos o calor e o bem estar de estar confortável com um peça feita por nós mesmos. Podemos decorar tudo em casa com nossos crafts, mas aquecer a quem amamos e  a nós mesmos tem, definitivamente, um sabor especial.

Um convite a todos para tricotar. Meninas, não curtimos o frio, curtimos o bem estar de estar bem agasalhados!

O gorro foifeito com o fio corriedale Fiolã com agulha 6mm e ficou ótimo. Um fio mais encorpado deixa o desenho do modelo mais visível.

Bom domingo!

Receita nos livros d e Elizabeth Zimmermann

 

Gorros para inverno 2012

Gorro Rosa

Eu tricotei esse gorrinho, o Swirl Hat de Mandie Harrington para um encomenda. Usei a medida indicada na receita para uma criança de quatro anos, mas fiz minha própria amostra. Usei o fio merino da Fiolã, da Coleção Tricô Sem Costura na cor Rosa Antigo e agulha circular e de pontas duplas 5mm. Usei cerca de metade do novelo para a peça da foto.

Receita Grátis no Ravelry: http://www.ravelry.com/patterns/library/swirl-hat-3

Versão em Espanhol em: http://www.trianalana.com/es/tutoriales-lanas/37-gorro-remolino-lana.html

Swirl Hat receita de Mandie Harrington
Fio merino Fiolã, Coleção Tricô Sem Costura, cor rosa. agulha 5mm.

GORRO AZUL

Esse é o segundo gorro que tricoto da receita do  Spiral Hat de Elizabeth Zimmermann, uma receita muito divertida. Do livro  The Opinionated Knitter, páginas 94- 96. O primeiro é o cinza, que fiz com dois fios de merino da Patons Wool, na agulh.a 8mm. O azul com lã corriedale da Fiolã, cor azul jeans e agulhas 6mm.

Spiral Hat receita de Elizabeth Zimmermann
Lã Corriedale Fiolã azul jeans, agulhas 8mm.

Spiral Hat
Fio Merino Wool DK da Patons, 100% merino supewash, 02 novelos na cor 96

Outros no álbum Gorros no Facebook.

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.327082274034427.75332.100001979709588&type=3

[Projeto Coletivo] Como lavar peças de tricô em lã!

As lã naturais são maravilhosas, cores e texturas! Tricotar com esses fios, em especial os fios artesanais, é  muito agradável. Muitos dizem que ficam com as mãos úmidas por causa do calor e por isso não tricotam nas outras estações do ano. Isso porque tricotam com lã de plástico (o nome verdadeiro de 100% acrílico).  Outros acham  lindo o fio de lã natural, não usam por temer que o processo de lavagem possa alterar a peça.

Ou seja, é aí surge aquela dúvida: depois que lavarmos, como a peça vai ficar? E mais, como lavar, quais os procedimentos adequados? Essa é uma preocupação que tenho com toda peça em tricô, em especial com os fios artesanais. Aí pensei em convidar algumas exímias tricoteiras muito queridas para fazermos um projeto coletivo  sobre como lavar  peças em tricô manual em lã artesanal e peças feitas com fios que tem lã em sua composição.

Como divulgamos a lã artesanal aqui no blog, acho que seria um tarefa importante e independente de qualquer “jabaculê” (como disseram-me antigas colegas de e-groups).  Na verdade avaliar uma tarefa assim só tem sentido se for coletiva. não dá pra fazer sozinho. Isso tanto pra gente avaliar a qualidade do fio quanto para aprender os cuidados com a lã.
Vou lavar as lãs que uso no blog e pouco a pouco vou mostrando os resultados aqui.
Assim cada tricoteria escolheu uma peça que tricotou (ou uma amostra), lavou e colocou a foto da peça antes e depois da lavagem, descrevendo o processo. Gente, aproveitem as dicas, e claro, visitem o blogs que certamente ficarão encantadas com tanta coisa linda produzida por essas meninas.
Destaco o trabalho da Valéria que escreveu um post completo para esse projeto usando o fio merino da Fiolã.
 Agradeço a  Bel, Susi, Denise, Derya, Sandrinha, Valéria:
Obrigada por partilhar!

Valéria  Ferreira  Garcia (
Uberlândia/MG, Brasil)
“As minhas dicas são:
– Respeitar a natureza da lã;
– Uma vez molhada, manusear com muito cuidado;
– Lavar à mão sempre apertando, nunca esfregando;
– Enxaguar com muito cuidado;
– Secar à sombra, numa superfície horizontal sobre uma toalha limpa;
Bel Comenero (Santos/SP, Brasil)
“Eu geralmente lavo a peça em água fria, com sabão líquido para roupas delicadas, sem esfregar,tiro o excesso de água com uma toalha e depois deixo secar na horizontal.”
Denise Von Poser (São Paulo/SP, Brasil)
Uma peça minha feita em Oxford (30% angorá e 70% lã), que estava precisando ser lavada.  Coloquei água em três quartos de um balde médio, 4 colheres de sopa de shampoo de bebê. Mergulhei a peça, apertei suavemente e deixei de molho por 15 minutos. Escorri a água, enxaguei quatro vezes. Coloquei dentro de uma fronha, fechei com dois pregadores de roupa e centrifuguei na máquina por apenas três minutos. Deixei secar por sobre uma toalha limpa e durante 3 dias, fui virando a peça. O  resultado é este:

Sandra Louzada (Brasília/DF, Brasil)
“1. A lã utilizada foi 100 % lã merino, produzido na Argentina, em tons de laranja: tangerina, laranja médio, laranja  (as cores são tom sobre tom) para tecer com ag. 4,5 a 5,5mm (na nomenclatura americana seria um DK quase igual a espessura do fio Familia)2. Então em primeiro lugar, vc precisa saber o quanto de acrilico tem a sua lã, se for 100 lã, como é o caso do meu kiri shawl, temos que fazer o seguinte: Mergulhe a peça em agua morna e um pouco de shampoo para cabelos secos, deixe lá por uns 15 minutos. Enxague com bastante agua morna e na última agua coloque um pouco de condicionador para cabelos secos, retire o excesso de agua com uma toalha (não pode torcer). Estique a peça sob uma superficie firme, pode ser um papelão grande com uma tala por cima, um isopor grosso, ou chapa de EVA tipo tatame. Estique a peça delicadamente e prenda com alfinetes e deixe secar naturalmente. Por 48 horas ficou secando…bem esticadinho, muito alfinete, usei um colchão ortopédico de solteiro para prendê-lo. Antes de blocar ( não sabia nem o que era isso…) aprendi na luta, fui lendo aqui e ali…e daí fiz conforme acima descrito.2. ficou super leve, o tricot definido, eu adorei o efeito da blocagem, ficou grande mas leve, muito bom o resultado. Ficou bonito, macio e perfumado e guardado está desde janeiro/2011.”
  
Susana Delvan, Canoas/RS, Brasil
A Susi de modo muito generoso enviou seu passo a passo completo, descrição e fotos.
“Usei minha meia Bláthnat feita com Lã 100% Merino da Liane Rossi. Vamos aos procedimentos!

Aqui está a meia antes de ser lavada, eu ainda não tinha lavado ela, podem ver que os pontos ainda estão bem “gordinhos”.
PASSO 1: Deixei de molho em água e sabão líquido para roupas por aproximadamente 30 min.
PASSO 2: Enxaguei em água corrente até tirar todo o sabão, não esfreguei, só deixei a água escorrer e ia apertando para tirar o excesso. Depois de tirar todo o sabão coloquei no amaciante por aproximadamente 10 min.
PASSO 3: Feito isso, espremi bem na mão, só apertando, para tirar todo excesso de água e coloquei em um varal para secar. Notem que não coloquei no prendedor para não deformar os pontos, deixei ela em cima solta. Conforme ia passando o tempo eu virava ela para secar dos dois lados.
E ai está ela depois de seca! Podem ver que os pontos se assentaram, não encolheu e nem alargou.
Bom, no meu teste a lã foi super aprovada! A Liane me comentou que as peças feitas com a lã dela podem ser centrifugadas, mas como a meia é pequena acho que não tem essa necessidade!

Mais clicks da Angel Studios! Gorros

Essa semana Angelica clicou mais alguns gorros. Sem palavras, tudo lindo. As receitas, em breve aqui no blog.

Todos são feitos com agulhas de pontas duplas, dando elasticidade e leveza aos gorrinhos

A cada foto uma surpresa, bebês lindos e o trabalho da Angélica um show! Agradecemos as mamães pela autorização para a publicação das fotos.

 

Ps gorros acima fora tricotados com os fios da Coats Corrente, o azul com o fio Cisne Jacquard na cor 00655 e o colorido com o fofíssimo Fast Plus, cor 00511.

Gorro verde com fio Cocoon da Aslan.

[Gorros para Inverno 2012] Angels Studio Fotografia e Atelier Tricô Sem Costura

A fotógrafa mariliense  Angélica Covo, da Angels Studius Fotografia faz acompanhamento de bebês. Neste inverno os bebes  serão fotografados com gorrinhos e mantinhas de lã,  produção do Atelier Tricô Sem Costura. Como podem ver, receitas clássicas de gorros, quando tricotadas com fios especiais, ficam simplesmente lindas.

Algumas receitas já foram postadas aqui, como a do gorro azul, outras são receitas  disponíveis online, ou simplesmente receitas clássicas de domínio público.

Para conhecer o trabalho fotográfico de Angelica Covo com os bebês, vejam seu o Baby Book:

http://www.angelstudiosfotografia.com/2011/08/baby-book.html

Gorro com superpompom, fio Los Andes da Aslan Trends

 

Boina com fio corriedale Fiolã

Bom tricô!