3º Encontro Gaúcho de Tricô Tchê … onde bate o coração do tricô brasileiro!

Em 26 e 27 de junho estive em Gramado/RS participando do 3º Encontro Gaúcho de Tricô do grupo Tricô Tchê. Grupo que reúne mais de 15000 pessoas no Facebook e que se encontra mensalmente em Porto Alegre, cujas atividades,  físicas e virtuais, são organizadas por um grupo, Suzete Dienstmann Musse, Lucia Maria Schofen, Salete Pretto, Susana Delvan e Simone Mendonça Soares. Agradeço o convite para ministrar oficinas e fiquei encantada, tudo foi muito tranquilo e bem organizado.

Nos dois dias do encontro, muitas oficinas e momentos de descoberta…. grupos de tricô de todo canto do Brasil: Tecendo no Cerrado, Tricô da Baixada Santista, Tricô 40º, Tricota Curitiba, Tricotando em Sampa e tricoteiras de várias cidades do país, muito além do entorno de Porto Alegre e Curitiba, como Brasilia/DF, Santos/SP, Petrópolis/RJ Sorocaba/Sp, Uberlândia/MG, Marília/SP, Cabreúva/SP, Ribeirão Preto/SP entre outras. De fato, um encontro de ampla representação nacional, muito além da ideia que se poderia fazer de um encontro regional. Se tricô combina com frio, aconchego e hospitalidade, então o coração do tricô brasileiro pulsa no RS, o que faz entender como um grupo consegue reunir e agregar tantas pessoas de tantos lugares do país.

Para mim, foi um momento muito especial por várias razões: pela oportunidade de ministrar oficinas de tricô, conhecer tricoteiras eg grpos de vários lugares do país, fazer novas amizades e encontrar pessoas especiais que conheço de longa data mas que ainda não conhecia pessoalmente, como Valéria Garcia do blog Tricô em Prosa, Jud Martins do Jud Arts e Crestina Consorti do Strickerin von Beruf entre vários outros professores fantásticos que ministraram oficinas.

Partilho aqui alguns momentos das oficinas que ministrei e, em especial, o vídeo que além de contar e registrar esse momento, convida todas as tricoteiras para o 4 Encontro em Gramado em 2016, em junho. Certamente,  o sucesso se repetirá em maiores proporções.

Oficina “Tricotando com fita métrica”

Oficina ‘Top Down em quatro etapas”

Oficina “Tricô para Tilda”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um cardigan muito especial

Simplesmente apaixonante,

estou encantada com a receita “in threes: a baby cardigan” de Kelly Herdrich do blog Kelly without a net.

Uma peça top down, que se faz de um só folego, rápida, perfeita e muito graciosa. Há muito tempo não tinha vontade de tricotar várias vezes uma mesma receita…e já comecei meu quarto casaquinho. A receita fornece indicações para várias tamanhos.

Segundo Kelly explica na receita “in threes” : um novelo, sem costura e para ser usado em qualquer estação.

No Ravelry: http://www.ravelry.com/patterns/library/in-threes-a-baby-cardigan

Estes são os meus três primeiros,

Esse com o fio corriedale fino da Fiolã e juntei a um gorrinho que havia tricotado com o mesmo fio natural.

Este com o fio Fofura Baby Kids da Circulo, um novelo foi suficiente até para um gorrinho

E este com o fio Serenety da Patons, uma delicadeza de fio,  algodão com bambu, usei um novelo e pouco mais.

[Receita Prática] Colete Corriedale em top down – Parte 01

Um colete simples e bem rapinho, para abrir os trabalhos de inverno.

Foi assim que tricotei esse colete top down acinturado. Aqui segue a primeira parte, depois publicaremos as orientações para o ajuste do busto, centralização da modelagem para a cintura e barras de acabamento.

A beleza da peça vem do fio artesanal;  os furinhos no eixo do raglan dão leveza a peça.

Materiais:

agulhas circulares de 7mm  e 6mm

340 gramas de lã corriedale Fiolã,  na cor marrrom natural, fio espessura média Coleção Brinco de Princesa

Marcadores coloridos

Noções Básicas:

Meia frente e costas (kfb)

Aumento tipo cast on ou aumento tricotado

Medidas:

O tamanho do busto foi calculado para 102 cm

Medidas da peça finalizada: 50 cm comprimento total – 20 cm para a cava (medida plana), 30 restante. Medida tomada a partir do alto do ombro. Medida total da peça aberta: 86 cm.

Amostra: 10 cm= 13 pontos

Cava: 23 cm ( medido sobre a linha do raglan)

Montagem inicial, antes de começar com as laçadas para o aumento do raglan:

1 meia (frente esquerda), 1 meia (eixo do raglan), 8 (mangas 01), 1 (eixo do raglan), 20 (costas), 1 (eixo do raglan), 8 (manga 02), 1 (eixo do raglan), 1 meia (frente direita) =42 pontos

Tricote uma carreira em ponto tricô, colocando os marcadores como segue: 1 t, marcador, 1 t, marcador, 8 t , marcador, 1 t, marcador, 20 t, marcador, 1 t, marcador, 8 t, marcador, 1 t. (total na agulha=42 pontos)

Atenção: essa carreira de montagem define a estrutura do trabalho.  Depois de montar, é feito um carreira em tricô e na seguinte inicia-se o direito do trabalho. Por que? Porque a montagem cria meia no direito e tricô no avesso, portanto a o que parece ser a primeira carreira, observando-se o desenho, já seria a segunda, portanto, o avesso. Quando na receita esta escrito marcador é apenas para passar o marcador de uma agulha para outra.

A partir daí, basta seguir o eixo do raglan tricotando meia no direito e tricô no avesso, até atingir a altura desejada da cava, como segue:

Direito: 1 meia, laçada, marcador,1 meia,marcador, laçada, (manga) meia até o próximo marcador , laçada, marcador, 1 meia, marcador,laçada, (costas) meia até o próximo marcador, laçada, marcador, 1 meia, marcador, laçada, (manga) meia até o marcador, laçada, marcador, 1 meia, marcador, laçada, 1 meia.

Avesso: em t ricô

Repetir por seis carreiras.

Inicie o trabalho do decote. Segundo as carreiras acima, apenas faça um aumento (kfb, meia frete e costas) no meia do início e final da carreira por quatro carreiras de direito. Para finalizar o decote, aumente seis pontos no início das duas próximas carreiras.

Então continue seguindo os aumentos  até atingir 23 cm de altura da cava, medida sobre a linha do raglan.

Bom final de semana a todos,

Receita do Casaco Letícia

Hoje recebi o arquivo da receita do Casaco Letícia, sobre o qual ja fiz uma postagem aqui no blog. O casaco foi feito pela professora Elaine Morelato Vilela Fraga,  uma “mãe Waldorf”,  para sua filha Letícia usar na Festa da Lanterna do ano passado. Botõezinhos de feltro agulhada e lã merino da Fiolã, linha Hortênsia. Uma peça linda e a receita agora está aqui disponível para todos,

Agradeço a Elaine por ter escrito a receita com tanto detalhamento e generosamente cedido a todos.

Espero que todos aproveitem. Bom final de semana,

 Casaco Letícia

Receita de Elaine Morelato Vilela Fraga

Marília/SP

Fio Merino Fiolã (Linha Hortênsia)

Amostra: 20 pontos x 20 carreiras na agulha 6,5 = 13cm x 10cm.

Tamanho: 6 anos

Material: 5 novelos de lã merino Fiolã, agulha circular nº 6,5 com cabo de tamanhos variados para ir trocando conforme o trabalho aumenta;  1 conjunto de agulhas de pontas duplas para as mangas sem costura; fios para segurar os pontos das mangas e das aberturas dos bolsos; bolinhas de lã feltrada para serem usadas como botões; agulha para costurar os fundos dos bolsos; agulha de crochê para fazer os arremates dos fios.

 

1-      Montar 62 pontos na agulha circular nº 6,5.

 

2-      Fazer a primeira carreira toda em meia.

 

3-      Fazer a carreira do ajuste da seguinte maneira (avesso do trabalho):

1m, 1t (2x), 1m, 8t, (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde a frente  esquerda;

7 t (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde ao ombro esquerdo;

22 t (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde às costas;

7 t (colocar 1 marcador) = esta parte corresponde ao ombro direito;

8t, 1m, 1t (2x), 1m = esta parte corresponde a frente direita.

Carr. 1 (direito): 1m, 1t (2x), *m até 1 ponto antes do marcador; fazer 1 aumento à direita, 1 m passar o marcador, 1 m, fazer 1 aumento à esquerda. Repetir a partir de * três vezes e depois fazer meia até os 4 últimos pontos (= 1t, 1m (2x)).

1 aumento à direita: com a agulha E, levante o fio entre o último ponto trabalhado e o próximo ponto, inserindo a agulha de trás para frente. Com a agulha D, trabalhe em meia pelo fio da frente o ponto levantado.

1 aumento à esquerda: com a agulha E, levante o fio entre o último ponto trabalhado e o próximo ponto, inserindo a agulha de frente para trás. Com a agulha D, trabalhe em meia pelo fio de trás o ponto levantado.

Carr2 (avesso): 1m, 1t (2x), 1m e depois tricô até os últimos 5 pontos (= 1m, 1t (2x), 1m

 

Repetir essas duas carreiras até que tenha 62 pontos entre os dois marcadores das costas, conforme esquema a seguir, que indica o número de pontos de cada parte, apenas com as carreiras ímpares, pois as pares não têm aumentos. Indica também os momentos de fazer as casas para os botões.

Carreira

Frente E

Ombro E

Costas

Ombro D

Frente D

Obs

9 (+borda)

9

24

9

9 (+borda)

10

11

26

11

10

Fazer casa de botão

11

13

28

13

11

12

15

30

15

12

11ª

13

17

32

17

13

13ª

14

19

34

19

14

15ª

15

21

36

21

15

17ª

16

23

38

23

16

Fazer casa de botão

19ª

17

25

40

25

17

21ª

18

27

42

27

18

23ª

19

29

44

29

19

25ª

20

31

46

31

20

27ª

21

33

48

33

21

29ª

22

35

50

35

22

Fazer casa de botão

31ª

23

37

52

37

23

33ª

24

39

54

39

24

35ª

25

41

56

41

25

37ª

26

43

58

43

26

39ª

27

45

60

45

27

41ª

28

47

62

47

28

Fazer casa de botão

 

Fazer casa para os botões: trabalhe a carreira até os últimos 4 pontos e então faça: 2 pontos juntos em meia, 1 laçada, 1 t, 1m.

A partir deste ponto, divida os pontos para as mangas:

43ª carr. (direito): 1m, 1t (2x), 29 m – tirar o marcador da manga – e passar os 47 pontos da manga para um fio e amarrá-lo, trabalhar em meia nas costas até o marcador que também deverá ser removido; passar os pontos da outra manga para o outro fio e amarrá-lo, como foi feito para a manga E; trabalhar em meia os pontos da frente até os últimos 4 pontos = 1t, 1m (2x), 1m.

44ª carr. (avesso): (1m, 1t)2x, 1m, tricô até os últimos 5 pontos = (1m, 1t)2x, 1m.

Na próxima carreira, fazer os aumentos para as costas:

45ª carr (direito): (1m, 1t)2x, 29m, fazer 1 aumento à direita, (6m, 1 aumento à direita)19x, 29 m, (1t, 1m)2x.

Começando com uma carreira no lado avesso, continue trabalhando em ponto Jersey, sem realizar aumento, mantendo os 5 primeiros  e os 5 últimos pontos de cada carreira em ponto arroz, como estabelecido até que meçam 42 cm desde a montagem dos pontos. Insira uma casa nas carreiras 53ª e  65ª.

Na carreira 74, fazer as aberturas para os bolsos:

74ª carr (avesso): fazer os 5 pontos de borda em ponto arroz; 8t, colocar os 12 pontos seguintes em espera, passando-os por um fio e amarrando. Virar o trabalho e aumentar 12 pontos da seguinte maneira: introduza a agulha D, da frente para trás,  entre os dois últimos pontos da agulha E, dê uma laçada, como se fosse fazer um ponto e traga o fio para frente, colocando o ponto na agulha E. Repita o processo 12 vezes. Depois vire o trabalho novamente e continue trabalhando os pontos como se apresentam. Fazer igual do outro lado.

Lembre-se de que nas próximas 7 carreiras após a abertura para os bolsos, os 12 pontos correspondeste deverão ser trabalhados em ponto arroz, para dar acabamento.

Continue trabalhando até atingir o comprimento desejado, sendo que as últimas 7 carreiras devem ser trabalhadas em ponto arroz.

Arrematar frouxo seguindo o padrão dos pontos.

Fazer as mangas:

Pegar os pontos deixados em espera e colocá-los nas agulhas de ponta dupla (usar 3 para pegar os pontos e trabalhar com a 4ª). Trabalhar em ponto meia, circularmente, fazendo 7 voltas de diminuição ( 1 em cada  7 voltas), diminuindo 1 ponto, pegando 2 pjm. Trabalhar até o comprimento desejado para as mangas. O punho deverá ser trabalhado em ponto arroz (7 carreiras)  Arrematar frouxo, seguindo o padrão.

Montar os bolsos:

Pegar os 12 pontos deixados em esperada e trabalhar em ponto Jersey, fazendo aumentos para que o fundo fique folgado. Trabalhar até a altura desejada e arrematar. Costurar o fundo na blusa, com agulha de mão pegando apenas um fio, sem deixar aparecer pelo lado direito.

Fazer a gola:

Com o lado direito voltado para você, comece e termine a 3 pontos das extremidades do decote. Levante e trabalhe em ponto meia os 56 pontos, em ponto arroz. Faça até a gola atingir 13 cm.  Arremate frouxo, conforme o padrão.

Pregar os botões coloridos, nos locais correspondentes às casas.

Depois é só torcer para fazer frio para que a criança possa usá-la.

Casaco da Letícia

Este casaco ficou lindo! Foi tricotado por Elaine Morelato Vilela Fraga, aluna do curso de tricô, para a filha Letícia, que deveria usá-lo pela primeira vez na Festa da Lanterna da Escola Waldorf Cora Coralina, aqui em Marília.  No dia da festa, estava calor, mas o casaco, vejam, ficou um encanto. Lindo demais! Os botões são bolinhas de feltro agulhado.

O casaco  top-down foi tricotado com o fio merino e as bolinhas com lã penteada Fiolã.

A receita, a Elaine vai escrever e futuramente divulgar no Face. Por enquanto, vamos curtir as fotos.

Elaine, parabéns pelo trabalho em tricô, pela dedicação de “mãe-Waldorf” e pelo carinho em cada pontinho pra Letícia.

Bjs

[Minhas receitas] Casaco Aurora com lã de tingimento artesanal

Tricotei um casaquinho com o fio Los Andes da Aslan de tingimento artesanal. Os tons de azul e verde lembram as tonalidades da Aurora Boreal. Vejam nessa Galeria de fotos no Flickr que cores fantásticas criadas pela natureza. Não resisti e batizei o meu casaquinho de Casaco Aurora pois a composição da mescla de cores da Aslan ficou bem próxima.

Este é um  casaco top-down, receita básica, em que testei alguns arremates no acabamento do decote.  Quando tricotamos a gola com cordões de tricô as vezes parece que foi feito fora da peça e costurado posteriormente, ai fica grosseiro e muitas vezes não se ajusta as curvas do pescoço. Então introduzi alguns mate simples e ssk em alguns pontos para curvar o acabamento do decote.

Várias pessoas sugeriram colocar mangas, porque o fio é muito lindo e macio. Mas aqui no interior de SP não temos frio para tanto. Então, para poder usar peças de lã natural, minha opção tem sido produzir peças mais leves, como coletes e casacos com mangas curtas ou sem mangas, gorros e cachecóis. Aqui, nos dias de frio intenso, dá pra usar apenas um colete com uma camisa de algodão. Aí me sinto aquecida, muito bem aquecida diga-se de passagem, sem a sobreposição excessiva de peças que provocam dores nas costas. Aí colocamos a culpa no frio…srsrs

Usei quatro novelos e meio de Los Andes nas agulhas 10 e 9mm. Esse fio é uma maciez, adorei!

Agora vou escrever a receita! Com dizem, a cada dia sua agonia….melhor, sua alegria para espantar maus agouros das reclamações.

Bom tricô!!!

Casaco Aurora

criação e execução Tricô Sem Costura

Fio: Los Andes da Aslan

agulhas circulares: 9mm e 10mm

Atelier Tricô Sem Costura no

Novelo Social Shopping